English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Seguidores

terça-feira, 9 de agosto de 2011

A semana



 domingo, pede cachimbo... e eu  acendo o meu na varanda à beira-mar de mim mesmo, sábado que sou . num cálice de porto fino, decido abrir o porões de mim para atacar o bolor de minhas prateleiras  velhas e empoeiradas pelo tempo.  adentrou a luz  e aquilo tudo acatou   instantaneamente que o vento forte do mingo meu removesse os esporos da estagnação. contudo, limpinho eu ninho até segunda que pede paciência... o terço, no quarto em minha quinta que tem sextas de pomos verdes que se nutriram dos daqueles esporos dos porões de domingo, do mingo. no sábado de mim, fresco de novas idéias a baforar, entre vê-las, a passear no porto...

Al Samadi.   

foto : PAS.          

domingo, 7 de agosto de 2011

ALMA me LEVE









Alma livre por ai

Passeando no infinito

Colecionando estrelas

Buscando o paraíso

Passatempo muito rápido

Tão rápido que nem vejo

Pequenas coisas belas

Perdem-se no espaço

Remexendo os sentimentos

Feito folhas no outono

carregadas pelo vento

desfazendo em alegria

Todo o chão aqui dentro...



EL Samuk

Liquidific a dor


Liquidific a dor 

 






















Liquefazendo meus momentos 

Apanhando e rebatendo 

Inventei o que hoje soul

Reguei-me como muito esmero 

Depois das podas que sofri

Mesmo assim me arrancaram 

Sem carinho e atenção 

Caíram as minhas folhas 

Mas minha raiz ficou no chão 

Aliviando a minha dor 

Rebrotando no verão 



El Samuk

Anjo terreno




Anjo terreno


Eu sou!

Um ser alado

Asa longa doce olhar

Com defeitos como todos

Mas quero me aprimorar

Vou buscando a perfeição

Que é difícil de encontrar

Não deve ser impraticável

E quiçá eu chego lá  


EL Samuk

Sonho flor da alma



 

















Sonhar...

Algo tão simples e belo

Ato da alma inspirada

Alma 

Desdobrando-se ela vai 

outros mundos dimensões 

Recarregando aprendendo 

Descobrindo sentimentos 

Mas quando o corpo da sinal 

Ela volta bem ligeiro

Vem guiada pela luz 

Que a mantém no meu canteiro


El Samuk